Quinta-feira, 25 de Outubro de 2007

Kafka à beira-mar, Haruki Murakami

 

                          0008eeza

 

      Sinopse do romance pela Webom:

      "Kafka à Beira-Mar narra as aventuras (e desventuras) de duas estranhas personagens, cujas vidas, correndo lado a lado ao longo do romance, acabarão por revelar-se repletas de enigmas e carregadas de mistério. São elas Kafka Tamura, que foge de casa aos 15 anos, perseguido pela sombra da negra profecia que um dia lhe foi lançada pelo pai, e de Nakata, um homem já idoso que nunca recupera de um estranho acidente de que foi vítima quando jovem, que tem dedicado boa parte da sua vida a uma causa -procurar gatos desaparecidos.
Neste romance os gatos conversam com pessoas, do céu cai peixe, um chulo faz-se acompanhar de uma prostituta que cita Hegel e uma floresta abriga soldados que não sabem o que é envelhecer desde os dias da Segunda Guerra Mundial. Assiste-se, ainda, a uma morte brutal, só que tanto a identidade da vítima como a do assassino permanecerão um mistério.
      Trata-se, no caso, de uma clássica (e extravagante) história de demanda e, simultaneamente, de uma arrojada exploração de tabus, só possível graças ao enorme talento de um dos maiores contadores de histórias do nosso tempo."

..

.

      Este é um daqueles livros que, embora extenso, se lê muito rápido. À medida que o lemos queremos conhecer mais e mais sobre o curioso percurso dos dois protagonistas. Ambos seguem, por instinto, e de forma paralela, um destino pré-estabelecido. As duas histórias chegam a tocar-se, a cruzar-se mesmo, sem, no entanto, chegarmos a estabelecer uma relação lógica entre as duas. Aliás qualquer uma delas descreve o irreal de uma forma quase real. Parece-me ser esse o trunfo deste autor, um dos escritores japoneses contemporâneos mais divulgados em todo o mundo. Fiquei interessada em conhecer as suas outras obras!

                           .

      Nota curiosa: A tradução portuguesa está recheada de Expressões idiomáticas muitas delas tipicamente portuguesas como "gastar o latim" ou "cair o Carmo e a Trindade", as quais só fazem sentido no universo da Língua Portuguesa. Encontrei neste livro, entre dezenas destas expressões que são do conhecimento comum, algumas que não conhecia e cujo sentido se retira pelo contexto. São elas: "Andar por aí aos caixotes" - andar sem destino, sem orientação; "Voltar à vaca fria" - voltar ao assunto inicial; "Cozinheiro de truz" - um cozinheiro excelente; "Há que malhar enquanto o ferro está quente" - há que aproveitar a oportunidade; fazer algo "sem espinhas" - sem problemas, sem entraves.

publicado por Cris às 22:13
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Sábado, 20 de Outubro de 2007

E-book ou livro tradicional?

 

     Esta é uma questão que tenho ouvido com alguma frequência nos últimos tempos: E-book ou livro tradicional? Quem me conhece sabe que gosto muito do livro-objecto, não só por me proporcionar o acto de ler, por prazer, por estudo, por curiosidade... mas pelo objecto em si - gosto de manusear um livro, de o sentir, de virar as páginas, da facilidade que tenho em levá-lo para qualquer lado... Acresce a isso o facto de não gostar de ler livros no pc, já tentei vários mas acabo sempre por desistir. Imprimi-los também não me atrai: as folhas e o entusiasmo perdem-se algures...

      Portanto, neste momento sou uma adepta, ainda convicta, do tradicional livro, da sensação oferecida pelo manusear das páginas de papel impresso, nas minhas mãos! Acontece que a tecnologia avança a cada dia e concordo que nunca devemos dizer "desta água não beberei!".

      Assim, estes exemplos da Sony Reader são a prova de que os e-books serão, cada vez mais, uma realidade. E o formato destes "leitores digitais" pode deitar por terra algumas das minhas reservas relativamente à sua utilização.

.

                                                  

    

      Se tiverem paciência leiam estas opiniões sobre o assunto:

.

 Jefferson Neto, do Mundo Virtual Mundo Real, escreveu um texto sobre as vantagens de se ler eBooks. Ele elabora, inclusive a seguinte lista de vantagens:

«1 - Livros eletrônicos podem reproduzir edições originais (e até edições históricas) em todos os detalhes.
2 - E-books devidamente armazenados duram para sempre.
Não envelhecem, não criam bolor nem ácaros, e não provocam alergias.
3 - O leitor pode ajustar o tamanho das letras às suas necessidades visuais. E se quiser, até dispensar os óculos.
4 - As anotações que costumamos fazer nas margens dos livros passam a ser eletrônicas (ficam acessíveis a um clique do mouse e organizadas automaticamente!).
5 - Quase todos os Readers incluem um dicionário (no meu, quando estou lendo o livro e não entendo uma palavra, dou 2 cliques nela e o verbete aparece no pé da página!).
6 - Cada livro ocupa em média 2,5 Megabites. Num CD de 700 MB, cabem até 280 livros. Num HD simples de 8 GB caberiam 3.200 livros.
Isso muda radicalmente o conceito de “biblioteca”.
7 - As árvores agradecem.
8 - Alguns E-books são vendidos pela metade do preço de um livro normal.
9 - Por último: Livros de papel precisam ser fisicamente transportados, pelo vendedor ou pelo comprador, num processo que pode durar horas, dias e meses. E-books são entregues em minutos (ou segundos) por downloads, e com conexões de alta velocidade ;-)

Após tudo isso, ainda tem dúvidas sobre os E-books?…»

.

      Já Alberto Mussa nos seus 10 mandamentos do leitor, defende que, com um livro tradicional «(...)Você pode avançar e recuar, folheando, com mais comodidade e rapidez que mexendo em teclados ou cursores de tela. O livro vai com você ao banheiro e à cama. Vai com você de metrô, de ônibus, e de táxi. Vai com você para outros países.(...)»

.

    E agora: e-book ou livro tradicional?

.

.

publicado por Cris às 23:10
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Sexta-feira, 19 de Outubro de 2007

Dondola - a poltrona para os amantes da leitura

 

       

 

 

      Para lermos o livro preferido enquanto nos balançamos confortavelmente! O curioso é que podemos guardar os livros de eleição na própria poltrona! Uma proposta, chamada Dondola, da autoria de Pucci de Rossi que encontrei no site Made75.

 

 

publicado por Cris às 22:32
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 18 de Outubro de 2007

A Criança que não queria Falar, Torey Hayden

 

        

 

      Um relato verídico e bastante comovente da experiência da própria autora, professora de ensino especial, que acompanha crianças com perturbações mentais e emocionais.

      Esta é a narrativa da relação muito forte, que se vai criando ao longo de menos de um ano de aulas, entre Torey Hayden e a sua aluna Sheila de seis anos, uma menina abandonada pela mãe e que vive ao cuidado de um pai alcoólico e mais tarde de um tio que a maltrata.

      À medida que os acontecimentos se desenrolam vamos percebendo como a perseverança e o amor incondicional desta professora conseguem quebrar as barreiras criadas por Sheila, uma criança agressiva e emocionalmente transtornada, vítima de um conjunto de situações que lhe vedaram o acesso a uma infância normal e acima de tudo à experiência maravilhosa dos afectos a que todos têm ou deveriam ter direito.

 

«Todos os outros vieram
Tentaram fazer-me rir
Brincaram comigo
Algumas vezes para rir e outras a sério
E depois partiram
Abandonando-me nas ruínas das brincadeiras
E eu não sabia quais eram a sério.
Quais eram para rir e
Vi-me sozinha com os ecos de risos
Que não eram os meus.

E depois chegaste
Com os teus modos estranhos
Nem sempre humanos
E fizeste-me chorar
E não pareceste importar-te que chorasse.
Disseste que as brincadeiras tinham acabado
E esperaste
Até que as minhas lágrimas se transformassem
Em alegria

...........................Torey Hayden in: A Criança Que Não Queria Falar

publicado por Cris às 22:07
link do post | comentar | ver comentários (33) | favorito
|
Quarta-feira, 17 de Outubro de 2007

L.I.V.R.O.

 

                         000824sk

 

Fantástica esta descrição daquele que é um dos objectos que mais admiro, o LIVRO!

.     NOTA: Não fiz qualquer correcção ao texto, escrito em português do Brasil!)

 

Um novo e revolucionário conceito de tecnologia de informação

.

Na deixa da virada do milênio, anuncia-se um revolucionário conceito de tecnologia de informação, chamado de Local de Informações Variadas, Reutilizáveis e Ordenadas - L.I.V.R.O.

.

L.I.V.R.O. representa um avanço fantástico na tecnologia. Não tem fios, circuitos elétricos, pilhas. Não necessita ser conectado a nada nem ligado. É tão fácil de usar que até uma criança pode operá-lo. Basta abri-lo!

.

Cada L.I.V.R.O. é formado por uma seqüência de páginas numeradas, feitas de papel reciclável e capazes de conter milhares de informações. As páginas são unidas por um sistema chamado lombada, que as mantêm automaticamente em sua seqüência correta.

.

Através do uso intensivo do recurso TPA - Tecnologia do Papel Opaco - permite-se que os fabricantes usem as duas faces da folha de papel. Isso possibilita duplicar a quantidade de dados inseridos e reduzir os seus custos pela metade!

.

Especialistas dividem-se quanto aos projetos de expansão da inserção de dados em cada unidade. É que, para se fazer L.I.V.R.O.s com mais informações, basta se usar mais páginas. Isso, porém, os torna mais grossos e mais difíceis de serem transportados, atraindo críticas dos adeptos da portabilidade do sistema.

.

Cada página do L.I.V.R.O. deve ser escaneada opticamente, e as informações transferidas diretamente para a CPU do usuário, em seu cérebro. Lembramos que quanto maior e mais complexa a informação a ser transmitida, maior deverá ser a capacidade de processamento do usuário.

.

Outra vantagem do sistema é que, quando em uso, um simples movimento de dedo permite o acesso instantâneo à próxima página. O L.I.V.R.O. pode ser rapidamente retomado a qualquer momento, bastando abri-lo. Ele nunca apresenta “ERRO GERAL DE PROTEÇÃO”, nem precisa ser reinicializado, embora se torne inutilizável caso caia no mar, por exemplo.

.

O comando “browse” permite fazer o acesso a qualquer página instantaneamente e avançar ou retroceder com muita facilidade. A maioria dos modelos à venda já vem com o equipamento “índice” instalado, o qual indica a localização exata de grupos de dados selecionados.

.

Um acessório opcional, o marca-páginas, permite que você faça um acesso ao L.I.V.R.O. exatamente no local em que o deixou na última utilização mesmo que ele esteja fechado. A compatibilidade dos marcadores de página é total, permitindo que funcionem em qualquer modelo ou marca de L.I.V.R.O. sem necessidade de configuração.

.

Além disso, qualquer L.I.V.R.O. suporta o uso simultâneo de vários marcadores de página, caso seu usuário deseje manter selecionados vários trechos ao mesmo tempo. A capacidade máxima para uso de marcadores coincide com o número de páginas.

.

Pode-se ainda personalizar o conteúdo do L.I.V.R.O. através de anotações em suas margens. Para isso, deve-se utilizar um periférico de Linguagem Apagável Portátil de Intercomunicação Simplificada - L.A.P.I.S. Portátil, durável e barato, o L.I.V.R.O. vem sendo apontado como o instrumento de entretenimento e cultura do futuro. Milhares de programadores desse sistema já disponibilizaram vários títulos e upgrades utilizando a plataforma L.I.V.R.O.
                                                                                   Millôr Fernandes

.     

publicado por Cris às 12:35
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 16 de Outubro de 2007

Contigo esta noite, Joana Miranda

 

                 lagrimas1.jpg (12757 bytes)

 

     

      «Eu e Marta somos pessoas muito diferentes. A Marta adora ­rodear-se de luxo, fausto e requinte. Eu prefiro as coisas simples. Ela adora cidades. Eu sinto-me bem no campo. Ela adora orquídeas. Para mim, nada iguala a beleza e singeleza de um ramo de flores do campo.»

                            Contigo esta noite, Joana Miranda

.

       Contigo esta noite é o relato dos percursos de vida tão distintos de duas irmãs gémeas: Marta e Júlia. Sob a forma de diário, Marta e Júlia vão revelando as suas vivências, recheadas de encontros e desencontros, amores e frustrações. Uma leitura muito leve, clara e repleta de sensibilidade. Com um final surpreendente!

.

    «Ninguém é feliz para sempre. O segredo está em ir-se conseguindo ser feliz. Um bocadinho todos os dias. E é-se mais feliz se se fizerem os outros felizes. Infelizmente, poucos são os que estão conscientes disso."

                              Contigo esta noite, Joana Miranda

.

.

        Vale a pena conhecer melhor a autora aqui!

 

publicado por Cris às 00:30
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 15 de Outubro de 2007

O Kamasutra da leitura...

 

      00081dk5

publicado por Cris às 12:23
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 11 de Outubro de 2007

A Saga de um Pensador, Augusto Cury

 

                       A Saga de um Pensador   

 

      «Houve reis que tentaram aprisionar a felicidade com o seu poder, mas ela não se deixou prender. Milionários tentaram comprá-la, mas ela não se deixou vender. Famosos tentaram seduzi-la, mas ela resistiu ao estrelato. Sorrindo, ela sussurrou ao ouvido de cada ser humano: "Ei! Procura-me nas decepções e dificuldades e, principalmente, encontra-me nas coisas anónimas da existência." Mas a maioria não ouviu a sua voz, e entre os que a ouviram, poucos lhe deram credibilidade.»

                                                          Augusto Cury, A Saga de um Pensador

.

      Augusto Cury, psiquiatra e cientista escreve este romance baseado nas teorias que foi desenvolvendo na sua profissão. Através do percurso de vida de Marco Polo, estudante de medicina, alerta-nos para o futuro que a humanidade nos reserva se não modificarmos atitudes, preconceitos, vivências que nos inibem de sermos os actores principais neste espectáculo que é a nossa própria vida!

publicado por Cris às 13:41
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
|
Domingo, 7 de Outubro de 2007

Tudo por Amor, Jodi Picoult

 

          Tudo por Amor

 

      Tudo por Amor, fala-nos daquilo que uma mãe é capaz de fazer por amor... ao seu filho.

      Nina Frost é delegada do Ministério Público cuja função diária é acusar pedófilos e ajudar as famílias a ultrapassar o pesadelo. Tudo é mais fácil quando se trata de outros com quem nunca se envolve emocionalmente... Mas quando descobre que o próprio filho de cinco anos foi vítima de abusos sexuais, e conhecendo tão bem o sistema legal com que contacta todos os dias, Nina decide, num impulso, fazer justiça pelas próprias mãos...

      Faz-nos pensar: até onde iremos por amor? Por um filho?

.

.

“Aqui se encontram as emoções verdadeiras da maternidade, com todas as contradições e toda a intensidade.” – Washington Post
.
"O que vem a seguir ao amor(...) é ser-se mãe." - Tudo por Amor, Jodi Picoult

publicado por Cris às 22:27
link do post | comentar | ver comentários (39) | favorito
|
Terça-feira, 2 de Outubro de 2007

E-books... também para crianças!

 

                

 

      Eis um Sítio muito interessante com histórias infantis, cheio de ilustrações bastante apelativas, para motivar os mais pequenos para a prática da leitura! 

      Confesso que prefiro sempre o LIVRO, o seu manuseio, o folhear das páginas de papel... mas dado o fascínio das crianças por este mundo virtual (tenho essa experiência com os meus filhos) há que nos adaptarmos às novas tecnologias. Nesse aspecto este site oferece uma aventura fantástica aos pequenos leitores!

      Espreitem e deliciem-se...

 

        http://www.contandohistoria.com/index.htm

.

publicado por Cris às 14:49
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.mais sobre mim

.Agosto 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
23
25
26
27
28
29
30
31

.Leituras do dia

Diz-me Quem Sou

.

"Leio e estou liberto, adquiro objectividade. Deixei de ser eu e disperso. E o que leio, em vez de ser um trajo meu que mal vejo e por vezes me pesa, é a grande clareza do mundo externo."

        Fernando Pessoa

 

"Pegar um livro e abri-lo guarda a possibilidade do facto estético. O que são as palavras dormindo num livro? O que são esses símbolos mortos? Nada, absolutamente. O que é um livro se não o abrimos? Simplesmente um cubo de papel e couro, com folhas; mas se o lemos acontece algo especial, creio que muda a cada vez.”

* Jorge Luís Borges *

 

.leituras recentes

. Não gostas?...

. Pergunta(s) indiscreta(s)...

. Ler na praia...

. 2012... em livros lidos....

. Um bom exemplo...

. :Oh!...

. Verdade...

. Pergunta Indiscreta III.....

. Um livro que é uma cama.....

. Pergunta indiscreta II...

.links

.tags

. todas as tags

.na estante

. Agosto 2012

. Dezembro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Dezembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.pesquisar

 

.Das imagens...

Este blog alimenta-se de imagens, como facilmente se percebe… Todas aquelas, cuja fonte não está assinalada, foram encontradas nas minhas “viagens” pela Net. Se, eventualmente, tiver colocado uma imagem sua não hesite em comunicar-mo… os créditos serão imediatamente repostos!

.Bem vindos!

Counters
Free Counter . Profile Graphics, Page Graphics